Trial GP de Gouveia, Toni Bou continua intocável e vence etapa portuguesa

Piloto espanhol mostrou na prova de Gouveia o porquê de ser considerado como o melhor do Mundo na modalidade de Trial. Toni Bou venceu mais uma vez, desta feita no Trial GP de Gouveia, e mantém invencibilidade há mais de 12 meses no Mundial de Trial.

Sem perder uma prova do Trial GP há mais de 12 meses – a última derrota sofrida foi no primeiro dia do GP do Japão em 2018 – o espanhol Toni Bou voltou a mostrar em Gouveia o porquê de ser o dominador do campeonato do mundo de trial há já mais de uma década. Com 12 títulos mundiais consecutivos o piloto de Piera na Catalunha venceu de forma autoritária  a prova portuguesa do campeonato, desenhada junto à cidade de Gouveia.

Com a Serra da Estrela como ‘pano de fundo’ e ao longo das quinze fantásticas zonas de obstáculos desenhadas, a quinta paragem do campeonato trouxe, pelo segundo consecutivo, cerca de sete dezenas de pilotos para uma ronda que se mostrou exigente devido às temperaturas elevadas que se fizeram sentir mas que marcou igualmente pilotos e equipas que não se cansaram de ‘rasgar elogios’ à rara beleza das zonas de obstáculos que começam a tornar Gouveia uma das referência do trial mundial.

Vencedor no dia da qualificação, que define a ordem de entrada em prova para a dupla passagem pelas quinze zonas de obstáculos, Toni Bou assumiu o comando da prova desde a primeira passagem pelas zonas de obstáculos somando um total de 15 pontos no final da primeira volta, reduzindo para apenas seis na segunda passagem para dilatar a sua margem face à concorrência.

O campeão do mundo apenas por três vezes somou os cinco pontos máximos numa zona, a 12ª foi mesmo a ‘zona impossivel’ para Bou e todos os outros excepto Jorge Casales, somando a penalização máxima em ambas as passagens, fechando o dia com 22 zonas sem qualquer penalização para um total de 25 pontos de penalização já que aos 21 de observação adicionou ainda mais quatro por ter excedido o tempo limite para cumprir a totalidade das zonas, uma vitória que o deixa mais perto do 13º título mundial consecutivo.

“Foi uma prova muito dura. No geral, o fim de semana foi positivo, com um terreno que me agrada bastante. Tentarei chegar mais descansado a França [próxima prova], pois se vencer serei campeão”,’ afirmou o piloto no final do dia e após mais um sucesso contundente neste campeonato.

Com sete pontos de diferença na contabilidade final terminou Adam Raga. O piloto da TRRS esteve sempre no segundo posto, penalizando vinte pontos na primeira volta e 12 na segunda. Encerrou a contagem com 32 pontos, menos 4 que Jeroni Fajardo, este a bater Jorge Casales, igualmente espanhol e o único que conseguiu ultrapassar sem a penalização máxima a impossível zona 12, mesmo assim perdendo três pontos. A encerrar os cinco primeiros ficou o primeiro ‘não espanhol’, o japonês Takahisa Fujinami com 40 pontos de penalização, mais um apenas que Casales.

Com estes resultados Toni Bou soma 120 pontos no campeonato, sendo Adam Raga o segundo com 98 sendo que Toni Bou pode garantir o ceptro já na próxima prova a realizar em França.

Em Trial2, a segunda categoria do campeonato, foi espanhol Gabriel Marcelli que venceu pela segunda vez e recuperou de forma generosa para o comandante do campeonato, o italiano Matteo Gratarolla que foi apenas sétimo e viu a sua vantagem no campeonato ser reduzida para escassos três pontos, o que deixa a decisão do ceptro bastante mais animada.

Emma Bristow foi novamente a vencedora na competição feminina batendo a espanhola Berta Abellan e Sandra Gomez. A britânica soma por vitórias as três jornadas do campeonato já realizadas e lidera o mundial com 13 pontos de vantagem.

A competição feminina tem igualmente Trial2, onde estiveram quatro pilotos portuguesas.

Globalmente foi Vivian Wachs quem venceu na frente de Alice Minta e Lenna Volpe. Rita Vieira foi a melhor das representantes lusas ao fechar a competição na 11ª posição, três lugares na frente de Sofia Porfirio que tinha sido a melhor lusa na qualificação do dia anterior. Mariana Afonso foi a 15ª e Leonor Moreira a 16ª no final da dupla passagem pelas 15 zonas de obstáculos.

A prova que teve mais uma vez como centro nevrálgico o Parque da Senhora dos Verdes fechou com a foto de família que juntou pilotos e elementos da organização e em ambiente de verdadeira festa após mais um sucesso organizativo que deixou os promotores do campeonato, equipas e pilotos com desejo de voltar em 2020.

Classificação Final

TRIALGP

1º Toni Bou – Montesa com 25 pontos
2º Adam Raga – TRRS com 32
3º Jeroni Fajardo – Gas Gas com 36
4º Jorge Casales – Vertigo com 39
5º Takahisa Fujinami – Montesa com 40