O quarteto fantástico que quer suceder a Ryan Dungey

A primeira etapa do mundial de Supercross está cada vez mais perto e com ela a promessa de um novo rei, após o campeão Ryan Dungey se retirar das provas oficiais. Há outros que querem o seu trono…mas quem serão os favoritos?

Analisando as últimas temporadas, há quatro nomes que saltam à vista:

Marvin Musquin

Terceiro colocado esta temporada, o gaulês da Red Bull KTM herdou o lugar do atual campeão como principal esperança da KTM neste campeonato do mundo. Com uma vitória em 2017 e com oito pódios, Musquin é um dos grandes nomes a chegar ao título. Na pré-temporada venceu todos os eventos em que participou, desde o Monster Energy Cup, ou o Red Bull Straight Rhythm ao Supercross Internacional de Paris, por exemplo.

Eli Tomac

Segundo colocado e por isso vice-campeão do mundo em título, o homem da Kawasaki obrigou Dungey a não ceder um milímetro. Venceu nove etapas em 2017 e conseguiu outros três pódios. A dado momento da temporada  parecia estar imparável e venceu várias corridas consecutivas. Com a ausência de Dungey sabe que o título é mais fácil mas precisa de voltar aos momentos de sonho de 2017…o que não será fácil.

Jason Anderson

Cinco pódios e uma vitória são o registro de Anderson no mundial de Supercross de 2017. O homem da Husqvarna parte para mais um ano na mesma equipe e promete fazer muito mais. Conhece como poucos Ryan Dungey e Marvin Musquin, fruto de treinar com ambos no prestigiado complexo de treinos de Aldon Baker, conhecido como o criador de campeões do mundo.

Ken Roczen

A grande dúvida nesta lista pode mesmo ser quem pode acabar vencendo. O alemão da Honda dominou por completo as duas primeiras etapas do ano passado e foi na terceira etapa, Anaheim 2, que uma queda o deixou em estado grave. A recuperação foi sendo feita paulatinamente e já há algumas semanas que se treina em cima da moto. Diz quem o acompanha que está igual ao que estava antes da queda e das lesões. Se assim for…preparem-se: temos candidato.

Deixe uma resposta