Nem Tudo é Off, voltamos a ativa! Video e fotos!

Depois ficar algum tempo na cristaleira, voltamos com a nossa coluna Nem Tudo é Off!

Adquirimos agora uma moto mais on do que off, fiquei muito limitado a andar apenas no asfalto com minha moto anterior, e claro que como um bom trilheiro, isso não tem graça nenhuma, como dizem, cada um no seu quadrado! Kakakaka. Alguns gostam de longas viagens e longas distancias, acho que isso pediríamos chamar de endurance, eu já não curto muito isso, e não posso ficar muito tempo fora do meu negocio que são as vendas das motos no www.motobrexo.com.br, ficar 15 dais fora e basicamente ficar 15 dias sem faturar, e nos tempos atuais, claro que isso não funciona!

Mitas E07, o “pneu”

Na semana passada, apertei meu amigo Breno Paz, e foi um vai ou racha, ou vamos chutar o balde sexta feira ou vamos chutar o balde sexta, não dei muitas opções para ele! Kakakaka. Claro que ele topou, e nossa brincadeira começou cedo, as 7 ele já estava na porta da minha casa, e depois de fazer a vistoria do segura na minha nova aquisição, partimos para o misto, asfalto e terra!

Cachoeiras no caminho

Saímos de Barra Mansa RJ, subimos a serra sentido Itamonte MG, e na Garganta do Registro, a 1600 metros de altitude, fizemos nossa primeira parada, claro que no Bar do Manelzinho, ali Breno é tratado como rei, a cada parada ele deixa 200 conto só de queijo, a turma não sabe o que fazer para agradar, mas também…

Em menos de 100km, sentimos calor, pegamos chuva, e sentimos frio, realmente os intemperes dessa jornada estava só por começar, saindo da Garganta, sentido Itamonte, sol e calor, realmente não deu muito para entender, e sem parar em Itamonte, chegamos a Alagoa MG, e claro que paramos para respirar…

Tomei café as 6, eram 11 e eu já estava com fome! Paramos numa padaria em Alagoa, pedi algo para forrar a barriga porque o almoço seria em Visconde de Mauá, já estava programado. Pedi um pão com queijo, o senhor da padaria que mais parecia o Kojak, falou que não tinha queijo, falei para fazer um pão com manteiga e era aquilo mesmo, conversa vai e conversa vem, Breno perguntou o que seria aquela loja do outro lado da rua, ele falou que era o queijaria, eu estou doido ou tinha um loja de queijo do outro lado da rua? Porque o maluco da padaria não compra lá e me vendeu na padaria? Difícil de intender os mineiros, mas esta bom, bola para frente que tem poeira e muita trilha…

Passei duas vezes nesse lugar, com essa foi a terceira, e por incrível que pareça, as três de tenere 660! A moto é muito boa para esse tipo de coisa. As duas primeiras vezes, a coisa estava feia, muita trilha, muita pedra, saltos, erosões…, dessa vez a maquina passou e a única emoção que tivemos foi a descida antes de Santo Antônio, ali é impossível de não sentir o gosto de merda na boca, ainda mais com nossas motos pesadas, são curvas de cotovelos com pedras soltas, dessa vez estava ate mais fácil, mas mesmo assim foi ruim de descer, meu freio traseiro esquentou e perdi totalmente, so para você ter uma ideia…

Barraca do Miguelzinho, lotado de queijo!

Depois de conhecer altas cachoeiras no caminho, chegamos em Mauá e fomos para Maringá, ali almoçamos, contamos causos e demos boa risadas, esses passeios são incríveis, você perde a noção do tempo, no final do dia, chegada em Barra Mansa, no mesmo local onde saímos, posto Ipiranga Barra Mansa no bairro Cotiaria, para encher o tanque para próxima e combinar o próximo destino, simplesmente sensacional o passeio!

Agradece a companhia do Breno Paz, na próxima darei uma terceira opção para ele, vou quebrar o galho, “vamos chutar o balde sexta”! Kakakaka

Nosso Tenere 660 estava equipada com os pneus Mitas E07 adquiridos na Jarva, www.jarva.com.br, alguns não curtem muito porque acham que perde a aderência no asfalto, eu adorei, ele não perde aderência alguma, ainda mais que coloquei o traseiro uma medida maior do original, ai que ficou chique, entre no site, ligue para loja e fale com o CG, o cara te da uma aula de pneu e de todos os equipamentos para você equipar a sua moto.

Ate o próximo Nem Tudo é Off… Espero que tenham gostado da matéria!

Veja no mapa nosso caminho, nossa paradas e as cidades e lugarejos por onde passamos, foi sensacional, de Barra Mansa a Barra Mansa deu exatos 300 km, claro que demos umas erradas para dar isso tudo! Kakakaka.

Esse foi o caminho que fizemos

 

Essa será a próxima TRIP, o dobro de KM, quem se habilita?

Quer ir com a gente? Quando estiver tudo pronto para nos irmos, vamos colocar aqui no site, mas acredito que será dia 13 de outubro, vai se organizando ai…

Deixe uma resposta