Nathan Watson: “Foi muito bom chegar à meta e saber que estava no pódio”

Venceu o WESS em Hawkstone Park apenas uma semana antes de participar no maior evento de motocross do ano – o Motocross das Nações – para ajudar a equipa britânica a subir ao 3.º lugar do pódio.

Além disso, Watson venceu Le Touquet em Fevereiro e fez os Red Bull Romaics e Erzberg extreme enduros. Apesar de esta já ser uma lista de sucessos bastante considerável, a medalha de bronze para a equipa da Grã-Bretanha é algo que Watson nunca mais esquecerá.

“É inacreditável! Tivemos uma equipa sólida de três bons pilotos que sabíamos que chegavam ao pódio este fim-de-semana, mas as condições eram horríveis e era uma lotaria absoluta. Infelizmente, a minha moto teve um problema quando estava numa boa posição na primeira corrida, pelo que estivemos de pé atrás desde aí e nunca desistimos. Continuámos a dar tudo até à última volta e acabámos no pódio! Por isso, sim, o Enduro no fim-de-semana passado, Motocross das Nações, este fim-de-semana, a primeira vez aqui desde 2015 e não podia pedir um fim-de-semana melhor”.

O piloto explicou ainda quão diferentes para si foram as corridas dos dois fins-de-semana. “No fim-de-semana passado estive lento e estável durante duas horas e meia e a andar a passos largos. Aqui é tão intenso, é o fim da época para todos e eles estão a esforçar-se o mais que podem, sente-se mesmo a intensidade. Adaptei-me muito bem, acho eu, e consegui um bom resultado, o que foi muito útil para mim, especialmente nestas condições”.

A terceira moto, era tudo para jogar e as posições do pódio estavam a flutuar, onde sabia disso ou estava apenas a concentrar-se nas suas voltas?

Estava apenas a fazer as voltas por volta, não fazia ideia de nenhum pódio! Eles não o colocaram na mesa das boxes, talvez não quisessem assustar-me ou algo assim se tivessem colocado algo a ver com um pódio! Eles mantiveram o silêncio e foi uma surpresa muito boa quando cheguei à meta e disseram que você estava no pódio, foi incrível”.

Apesar de ter conseguido um bom resultado, Watson garante que não foi tarefa fácil. “Há muito tempo que não andava nestas condições, para ser honesto. Com a chuva, foi super pesado, tive alguns problemas com a moto e tínhamos de pensar muito no que estávamos a fazer. Foram condições muito duras”.

Com tudo aquilo que já fez este ano, Nathan Watson ainda tem alguns desafios pela frente. “Ainda me restam duas rondas da série World Enduro Super Series, depois começo as corridas de praia em Outubro, tenho sete corridas de praia que terminam com Le Touquet em Fevereiro”.

Foto: KTM