Inventar um novo jeito de brincar…

Desde que me entendo por gente tenho um ligação com veículos de duas rodas. Meu pai andava de moto, e nunca jogou bola. Mas quando menino, ele nunca realizou seu sonho de ter um bicicleta. Quando nasci ele já tinha moto e meu primeiro presente foi uma bic
Por Tiago Biage Motovideo
21
Mesmo que eu ainda não andasse em cima das pernas, nem muito menos engatinhasse, o sonho que era dele, que pudia também ser do seu filho já estava realizado.
Eu não ia crescer sem ter uma bicicleta.
A partir do momento que meu senso de equilíbrio foi se desenvolvendo, adicionamos um motor nessa equação e lá pelos 7 veio minha primeira Mobilete.
Esta primeira não era grandes coisas e foi sendo substituída a cada Natal, até que aos 9, o Papai “Noel” me trouxe uma Caloi XR.
O supra sumo dos ciclomotores da época, branca e verde, de farol quadrado, carenagem e tudo, lembrava muito as Agrales da época.
Posso sentir agora a mesma felicidade que senti naquele dia.
Esse “brinquedos” foram me acompanhando e crescendo junto comigo, me lembro que aos 12 meu pai tinha uma Xizélinha 125 e nessa época eu já dava meus primeiros rolês nela, que foi minha companheira durante muitos anos.
Aos 15 comecei a trabalhar e tudo que eu queria adquirir eram motos, comprei um JOG 50, depois uma Honda Dream e em seguida uma DT 180.
Com a DT veio o barro.
Com o barro os equipamentos.
Com os equipamentos vieram as trilhas.
Com a trilhas vieram os amigos do “ramo”.
Com os amigos do ramo veio o estilo de vida.
Isso virou um ciclo.
Um longo ciclo, que já vai completar duas décadas.
Neste tempo…
22
Andei muito de moto. Mais do que pudesse imaginar que andaria quando comecei.
Vi caras que já andavam parar de andar.
Vi caras que começaram a andar parar.
Mas eu to aqui na lida, sempre procurando um bom motivo pra andar de moto.
E sempre esquecendo os motivos que poderiam me fazer parar.
E quando enfim achei que iria parar, pois minha filha nasceu a exatos 27 dias.
Putz…
Inventei um novo jeito de brincar.
Depois da dica de um amigo que sempre influenciou este estilo de vida.
Depois de algum tempo negociando, realizei um sonho que não poderia deixar pra minha filha.
Ter uma moto de trial.
Ligar e sentir o cheiro do 2 tempos, aquele igualzinho ao da minha primeira Mobilete, foi como voltar a ter 7 anos.
Foi como ter a certeza, de que o tempo só passa pra que nós possamos ser pessoas melhores e não pra que a gente envelheça.
Ele passa pra nos lembrar que tudo isso vai acabar um dia, não existe tempo pra ficar errando os mesmo erros, ou desperdiçando essa preciosidade com coisas que não nos levam a lugar algum ou que não produzam algo que possa ser utilizado.
As motos sempre foram assim. Sempre me deram muito mais do que me levaram.
E sempre tiveram a capacidade de me fazer voltar no tempo.
Invente também um novo jeito de brincar.
A vida não tem 2ª via. Se você não for feliz agora, não vai ser.
Trabalhe, produza e desfrute dos pingos do seu suor brincando com o te faz bem.

Grande abraço a todos e bom final de semana.

Um muito obrigado ao meu Pai que apesar de ter aversão as motocicletas hoje, foi quem começou isso tudo, a minha esposa Pamela, por se sentir realizada quando realizo meus sonhos, ao Motoraid pelo espaço, a ASW Racing pela parceira e a todos meus amigos do motociclismo.

23

Deixe uma resposta