Extreme Racing continua com suas atividades

Credito Carol Sarto
Credito Carol Sarto

Todos acompanharma os últimos acontecimentos da operação realizada pela Receita Federal em uma prova de motocross no interior de São Paulo, que além de resultar na apreensão de algumas motocicletas para verificação da documentação, o diretor da Extreme Racing, Domingos Júnior havia comentado que iria paralisar suas atividades.

Contudo, nesta terça-feira (08/03), a empresa divulgou nota comunicando que após reavaliarem a situação, decidiram dar continuidade com suas atividades. Uma grande notícia para o esporte e mercado nacional, que tinha na empresa a realização de mais de 30 provas durante o ano, contando com mais de 3 campeonatos.

Confira abaixo a nota oficial da Extreme Racing, que retoma suas atividades em uma nova fase. Esta decisão da empresa é fundamental para todo o nosso segmento, tamanha a importância da Extreme Racing para ele. A partir de agora é necessário a união de todos, pilotos, equipes, patrocinadores e mídia para apoir totalmente a Extreme Racing, na busca para seus crescimento, podendo desta forma, oferecer eventos com mais qualidade, todos buscam isso.

NOTA DA EXTREME RACING

\”Meu nome é Domingos Ramos de Oliveira Junior, tenho 52 anos de idade, sou brasileiro, casado, dois filhos, organizador de eventos esportivos, proprietário da empresa Extreme Racing Competições, Presidente da Liga Independente de Velocidade e Regularidade do Brasil, e nos últimos dois anos acumulei o cargo de Diretor de Provas do Moto 1000 GP (Campeonato Brasileiro de Motovelocidade).

Iniciei minha história no mundo da velocidade há exatos 20 anos atrás, quando em 1996 tive uma curta carreira de piloto de Kart-Cross, apenas uma temporada, algo em torno de sete provas. Já em seguida comecei a organizar as provas de Kart-Cross para os amigos, depois estive envolvido com a Motovelocidade de baixa cilindrada, o kart, provas de arrancada, Fórmula 200 e finalmente em 2002, trabalhei para a Megacycle Eventos organizando o Campeonato Amador de Motocross Dirt Action. Foi ao conhecer o Motocross que tive a ideia de montar minha empresa, a Extreme Racing Competições, o que ocorreu no ano seguinte em 2003. Depois disso muita coisa já aconteceu com muito sucesso e também algumas decepções, mas sempre com muito trabalho, e com todos estes anos já alcançamos na Extreme Racing, os seguintes números em provas organizadas e trabalhos prestados para terceiros:

302 provas de Motocross

36 provas de Velocross

85 provas diversas (Kart/Supermoto/Arrancadas/Encontros).

Totalizando 423 eventos onde foram entregues mais de 40.000 troféus, foram feitas mais de 4.200 largadas, movimentando mais de 11.000 pilotos em diferentes categorias do esporte e tendo como público mais de 2.000.000 de pessoas.

E recentemente é de conhecimento de todos, tivemos um dia triste, ou melhor, um dia muito triste. Dia 21 de fevereiro de 2016, em Atibaia/SP, Copa Verão de Motocross 2ª etapa, este dia ficará marcado em nossa história para sempre. E no primeiro momento tudo que aconteceu nos deixou com a certeza que seria o final de uma jornada de muito trabalho, e declaramos que nossas atividades estavam encerradas.

Mas nosso esporte é maravilhoso e nele além de todos estes números que citei acima, adquiri muitos amigos e muitos admiradores dos eventos da Extreme Racing Competições, confesso quem não tinha ideia que eram tantos. E Depois de reuniões feitas com muitos amigos, patrocinadores, conversas com pilotos, e-mails recebidos, recados, compartilhamentos nas redes sociais e até uma petição pública feita por uma grande pessoa, resolvemos em família que não iremos parar, mas iremos remodelar nossos eventos e aprender com os erros para torna-los melhor. Em breve anunciaremos os campeonatos que serão organizados por nós nesta temporada e também a nossa Festa de Premiação aos Campeões de 2015, a qual tivemos que cancelar provisoriamente.

Agradeço mais uma vez a todos que de alguma maneira nos ajudaram neste momento difícil e principalmente a Deus, por mostrar que à coisas nesta vida que não tem preço, e podem ter certeza que o nosso esporte, o Motocross e também o Velocross não irá acabar.\”