Choveu, a serra fica molhada!

Por Ernani Chileno

É isso aí, temporada de chuva chegando, poeira baixando e chão molhado na serra começando!

Pra falar a verdade, eu nunca subi pra Campos de Jordão mesmo em períodos de seca sem se quer pegar um trechinho úmido, e
como não dispensamos uma trilhinha, acabamos encarando os desafios que são propostos pelos amigos!

Último final de semana subimos para Campos do Jordão, onde partimos de um simpático restaurante (Santa Juliana – recomendado) no pé da Serra da Mantiqueira com destino a cidade de Campos do Jordão, onde a primeira parte da Trilha nomeada de Vaca Morta nos esperava.

Galera praticamente de sempre, composta pelos trilheiros da região (Bunda de Urso, Japonei Goianio, Agostin, Bruxo entre outras figuras memoráveis do pedaço) já se movimentavam logo pelas 6 hs da madruga com destino aos desafios que nos esperavam.

Roupa vestida, motos prontas e tudo começou na Vaca Morta com um grande desafio misturando pedras lisas, um caldo de barro e
muita árvore caída para subirmos a primeira parte da trilha. Sequência de Santo Antonio do Pinhal, Trilha do Zig Zague, voltando pelo
temível Trabiju e pra completar descer o Raid e finalizar com a Fazendinha voltando ao ponto de partida.

Falando assim, parece fácil né meu amigo? E realmente foi, porém depois de algumas horas de trilha, alguns são sorteados com pequenos imprevistos, e nessa última, eu (Ernani Chileno) recebi o prêmio de rodar uma ribanceira abaixo, e como sozinho não consegui sair, foi necessário a ajuda dos parceiros que já estavam na frente e voltaram pra me socorrer…

Como o que sobra é apenas fofocross, eu lá embaixo de uma ribanceira, todo estrupiado ainda tive que escutar: – Tira foto, registra isso, pq tem que rolar o fofocross na semana!!!

Resultado final, finalizamos a trilha bem, e eu fui carimbado de barro dos pés à cabeça!

Brincadeiras à parte, o que trazemos das trilhas é o espirito de união de quem anda de moto, e independente do que vai ou vem, o que nos importa é terminarmos bem com saúde, em paz, e o mais importante, já ir pensando na próxima trilha!